deusa Frigga – "A Amada"

deusa Frigga
Na mitologia nórdicaFrigga, ou Friga, é a Deusa-Mãe da dinastia de Aesir. Esposa de Odin e madrasta de Thor , é a deusa da fertilidade, do amor e da união. É também a protectora da família, das mães e das donas-de-casa, símbolo da doçura.

Na mitologia nórdica

Na Mitologia nórdica, era conhecida como a mais formosa entre as deusas, a primeira esposa de Odin, rainha do Æsir e deusas do céu. Deusa do clã do Ásynjur, é uma deusa da união, do matrimônio, da fertilidade, do amor, da gerência da casa e das artes domésticas. Suas funções preliminares nas histórias mitológicas dos nórdicos são como a esposa e a mãe, mas estas não são somente suas funções. Tem o poder da profecia embora não diga o que conhece, e seja única, à excepção de Odin, a quem é permitido se sentar em seu elevado trono Hlidskialf e olhar para fora sobre o universo. Participa também na Caça Selvagem (Asgardreid) junto com seu marido. Os filhos de de Frigga são BalderHöðr e provavelmente de Hermodr e Wecta; seus enteados são TyrVidarVáliSkjoldr e Thor. O companheiro de Frigga é Eir, médico dos deuses da cura. Os assistentes de Frigg sãoHlín (a deusa da proteção), Gná (a deusa dos mensageiros), e Fulla (deusa da fertilidade). Não é claro se os companheiros e os assistentes de Frigga são os aspectos simplesmente diferentes da própria Frigga. De acordo com o poema Lokasenna Frigga é a filha de Fjorgyn (versão masculina da “terra,” cf. versão feminina da “mãe terra,” de Thor), sua mãe não é identificada nas histórias que sobreviveram.
Acreditava-se que era detentora de uma enorme sabedoria, conhecendo o destino dos Homens, sem, no entanto, alguma vez o revelar.
É representada como uma mulher alta e majestosa vestida de penas de falcão e gavião, trazendo um molho de chaves no cinturão.
O seu nome tem várias representações (Frige, Frija, Fricka etc.) sendo também, por vezes, relacionada ou confundida com a deusa Freya.

Atributos

Frigga era considerada pelos nórdicos antigos como a mãe das Asynjor.

Na Escandinávia, a constelação conhecida como “Constelação de Órion” é denominada “Frigga Distaff” (Fuso de Frigga). Como a constelação está no equador celestial, vários intérpretes sugerem que as estrelas que giram no céu da noite podem ter sido associadas com a roda girando de Frigga. Em diversas passagens ela é representada fiando tecidos ou girando as nuvens.
O nome Frigga pode ser traduzido como “amor” ou “apaixonado” e traz inúmeras variações entre as muitas culturas europeias do norte, tanto de local como de tempo. Por exemplo, Frea no Alemão Sulista, Frija ou Friia no Alto Alemão Arcaico, Friggja em Sueco, Frīg (genitivo Frīge) no Inglês Arcaico e Frika que apareceu nas óperas de Wagner. Também é sugerido por alguns autores que o “Frau Holle” da cultura folclórica alemã refere-se a deusa.
O salão de Frigga em Asgard é Fensalir, que significa “salões do pântano”. Isto pode significar que as terras alagadiças ou pantanosas eram consideradas especialmente sagradas à deusa, mas tal afirmação não pode ser considerada definitiva.
A deusa Saga, que foi descrita bebendo com Odin em copos dourados em seu salão de “assentos submersos” pode ser que represente Frigga com um nome diferente.
Os símbolos normalmente associados com Frigga são: Chaves, fuso, eixo da roca (roda girando), visco.
Rainha do Céu, padroeira dos casamentos, das parcerias, da vida familiar, dos nascimentos, da maternidade, da fidelidade conjugal, das crianças, da agricultura, do lar  das tarefas domésticas, da preparação da comida, das donas de casa, da tecelagem e da terra. Ela tem o conhecimento dos destinos, porém guarda em silêncio e não faz profecias.

ELEMENTOS: ar, água (névoa, nUvens)
ANIMAIS TOTÊMICOS: falcão, garça, coruja, ganso selvagem, cegonha, pintassilgo, águia aquática, aranha, carneiro (puxa sua carruagem), caracol, bicho-da-seda.
CORES: cinza-prateado, azul, branco
ÁRVORES: ameixeira, macieira, paineira, nogueira
PLANTAS: teixo, cânhamo, hera, linho, rainha-dos-prados, verônica
PEDRAS: âmbar, cristal de rocha, calcedônia, calcita, crisólita, safira.
METAIS: ouro, cobre
DIA DA SEMANA: sexta-feira (junto com Freyja) e quinta-feira (junto com Thor). Nesses dias e das crianças, Frigga era reverenciada juntamente com a deusa Nerthus, na noite de 24 de dezembro, a assim chamada “Noite da Mãe”
DATAS DE CELEBRAÇÃO: 11/01, 24/05 (equinócio da primavera, lua cheia de maio), 01/08, 24 e 27/12.
SÍMBOLOS: fuso (ela fia a matéria-prima que será tecida pelas Nornes), a constelação de Órion, a constelação Ursa Menor, roca de fiar, tear, chaves, manto, cinto e colar de ouro, penas de garça e de falcão, nuvens, lã, linho, taça de chifre de boi, chaves de casa. 
RITUAIS: menarca, gravidez, parto, menopausa, busca da visão, contemplação, viagens astrais, precognição, ritos de passagem, encantamentos com fios. 
PALAVRA-CHAVE: percepção psíquica, silêncio
RUNAS: feoh, ansuz, eihwaz, perthro, berkana, laguz inguz.
[Fonte: Wikipédia e Mistérios Nórdicos/Mirella Faur]

Runas Regentes:

Ansuz

Berkano

Eihwaz

Feoh

Perthro


Anúncios