deus Frey – "O Senhor", "O Fértil"

deus Frey

Na mitologia nórdicaFreyFreiFreyr ou Freir é filho de Njord e irmão de Freya, e está casado com a gigante Gerda. É um deus representado como belo e forte que comanda o tempo e a prosperidade, a fertilidade, a alegria e a paz. É o deus chefe da agricultura.
É o patrono da fertilidade, o soberano dum país chamado Álflheimr, reino dos elfos da luz (ljósálfar), que são os responsáveis pelo crescimento da vegetação. O Skirnismál (“A Balada de Skirnir”) nos informa que Frey é filho de Njörðr (Njord), o deus da fertilidade. É portanto um deus dos Vanir. Seu cavalo salta qualquer obstáculo e a sua espada mágica, forjada por anões, move-se sozinha nos ares desferindo golpes mortais, mesmo se for perdida em combate. É senhor de um javali de ouro chamado Gulinbursti, criação dos anões Brokk e Sindri, que conduz um carro como se fosse puxado por cavalos, e cujo brilho reluz na noite. Tem também um navio, Skidbladnir(Skidbladnir), que é tão grande que nele cabem todos os deuses, mas pode ser dobrado e guardado na algibeira. É uma das mais antigas divindades germânicas junto com Freyja e Njörðr, e seu nome significa “senhor”.
Apesar de ser um deus pacífico, Frey está destinado a lutar contra Surtur na batalha de Ragnarok. Nesta luta não poderá utilizar a sua espada mágica, porque a deu ao seu escudeiro, Skirnir .

Cultuação

Parece que ele inspirou particularmente devoção na Suécia, como evidenciado por estátuas eróticas e amuletos, e pela tradição de procissões de carruagem no estilo de Nerthus, a deusa descrita por Tacitus em sua Germânia, de grande devoção desde a Idade do Bronze no Oeste Germânico. Na Islândia, Frey era ocasionalmente chamado de Síagoð (“o deus sueco”). Ele era aparentemente popular também na própria Islândia, em Trondelag (Noruega) e na Dinamarca. O culto de Frey deve ter alcançado a Noruega e a Islândia indo a Jutlândia (Dinamarca), em cujo lago central, o lago Stor (Störsjön), ficam as ilhas de Norderön e Frösön (ilha de Njörðr e ilha de Freyr respectivamente).
ELEMENTOS: terra, água
ANIMAIS TOTÊMICOS: javali, cavalo, touro, alce, cervo
CORES: verde, dourado
ÁRVORES: aveleira, nogueira, pinheiro
PLANTAS: alho-poró, alfineiro, narciso
PEDRAS: esmeralda, pedra-do-sol
METAIS: cobre, bronze, prata
DIA DA SEMANA: sexta-feira
DATAS DE CELEBRAÇÃO: 30/04, 28/08, 27/12
SÍMBOLOS: Sol, luz, calor, espada, elmo, barco, chifres, pulseiras, carruagem, sino, elfos, colina, câmara subterrânea, emblemas de javali, símbolos fálicos, adornos de chifres.
RITUAIS: para atrair prosperidade e paz, abençoar a terra, trazer tempo bom e calor, proporcionar fertilidade e crescimento, lembrar e reverenciar os ancestrais, aumentar a virilidade e a potência.
PALAVRA-CHAVE: fertilidade
RUNAS: feoh, raidho, gebo, jera, sowilo, ingwaz

Gebo

Feoh

Ingwaz

Jera

Raidho

Sowilo


[Fonte: Wikipedia e Mistérios Nórdicos/Mirella Faur]


Anúncios