deus Hórus

HÓRUS
Deus do céu, da realeza, protetor
dos exércitos.

Locais de Culto:
Em todo o Egito e na Núbia

Formas:
– Humana: Criança. Legionário
– Animal : Falcão agachado ou de pé

Atributos:
Pschent, atef, cruz ankh, cetro uas. Por vezes flagellum

Elementos:
Ar, Fogo

Cores:
Preto, Vermelho, Branco

Animais Sagrados:
Falcão

Relações:
– Pai: Osíris, Rá, Atum
– Mãe: Ísis
– Mulher: Hator, ou Ísis, a sua mãe

Na mitologia egípcia, Hórus (ou Heru-sa-Aset, Her’ur, Hrw, Hr ou Hor-Hekenu) é o deus dos céus, muito embora sua concepção tenha ocorrido após a morte de Osíris. Hórus era filho de Osíris1 .
Tinha cabeça de falcão e os olhos representavam o Sol e a Lua. Matou Seth, tanto por vingança pela morte do pai, Osíris, como pela disputa do comando do Egito.
Após derrotar Seth, tornou-se o rei dos vivos no Egito. Perdeu um olho lutando com Seth, que foi substituído por um amuleto de serpente, (que os faraós passaram a usar na frente das coroas), o olho de Hórus, (anteriormente chamado de Olho de , que simbolizava o poder real e foi um dos amuletos mais usados no Egito em todas as épocas.[carece de fontes] Depois da recuperação, Hórus pôde organizar novos combates que o levaram à vitória decisiva sobre Seth.
O olho que Hórus feriu (o olho esquerdo) é o olho da Lua, o outro é o olho do Sol. Esta é uma explicação dos egípcios para as fases da lua, que seria o olho ferido de Hórus.
Alguns detalhes do personagem foram alterados ou mesclados com outros personagens ao longo das várias dinastias, seitas e religiões egípcias. Por exemplo, quando Heru (Hórus) se funde com Ra O Deus Sol, ele se torna Ra-Horakhty. O olho de Horus egípcio tornou-se um importante símbolo de poder chamado de Wedjat, que além de proporcionar poder afastava o mau-olhado, pois segundo os egípcios os olhos eram os espelhos da alma.
De acordo com uma lenda difundida no Antigo Egito, Hórus foi concebido por Isis, quando Osíris, que era seu pai, já estava morto. A lenda sugere que a fecundação ocorreu quando Isis, na forma de um pássaro, pousou sobre a múmia do esposo, que estava deitado em um sofá.
Uma estela datada de 1400 a.C. (hoje guardada no Museu do Louvre), contem este hino sobre o tema:Oh benevolente Ísisque protegeu o seu irmão Osiris,que procurou por ele incansavelmente,que atravessou o país enlutada,e nunca descansou antes de tê-lo encontrado.Ela, que lhe proporcionou sombra com suas asase lhe deu ar com suas penas,que se alegrou e levou o seu irmão para casa.Ela, que reviveu o que, para o deseperançado, estava morto,que recebeu a sua semente e concebeu um herdeiro,e que o alimentou na solidão,enquanto ninguém sabia quem era…